Salve Jorge ou queimem Jorge?

Jorge, teria sido um padre ou militar romano que teria vivido entre os séculos 3 e 4 na região da Capadócia, ou ali pela Turquia, nos tempos modernos. Quem quiser se aprofundar, vai ali na Wikipedia. Não vou repetir algo aqui para me fazer de entendido. Antes de ser cristão nunca liguei para o tal do Jorge e como nunca acreditei que existiram dragões… não ajudou.

Mas vamos a um dos assuntos mais inflamados da Internet atualmente envolvendo as igrejas católica e evangélica, e por conseguinte o cristianismo, que é a novela Salve Jorge de autoria de Glória Perez e que vai ao ar no horário nobre da Globo.

Será que todo cristão deveria execrar a novela, seguindo alguns dos ditos “líderes” cristãos? Será que Salve Jorge pode realmente te levar para o Inferno? Os motivos para assistir a novela Rei Davi da Record seriam realmente motivados por uma preocupação real do Sr. Macedo ou há por trás um motivador econômico?

Tantas perguntas demandam respostas e vou tentar dar algumas, afinal, eu creio ter razão em alguma coisa.

Primeiramente, vamos tentar dar algum crédito as palavras de Cristo e para os de bom ânimo, tentar segui-las (e não cegamente à tudo aquilo que seus líderes dizem). Em Mt 15:11, Cristo diz que “O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem.”. Façamos aqui uma analogia a dois outros sentidos os quais percebemos o mundo e são base para a crítica aqui escrita, que são a visão e audição. Não é aquilo que você houve ou vê que vai fazer você pecar ou cair da graça. Se associarmos a isso o que lemos em Tg 1:13-15, onde é a própria cobiça do homem que dá luz ao pecado, não podemos atribuir a algo externo a fonte de seu pecado. Ainda, se formos em Gn 4:7 (e é o Próprio Deus que diz), vemos que Ele fala com Caim (antes de que o mesmo matasse Abel) de que “O seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo”. Se Caim tivesse escutado, não teria dado asas a sua vontade de matar o irmão. Vemos aqui então, que o desejo de matar o irmão já existia dentro de Caim. Colocar a culpa no outro é tão velho quanto Adão jogando a culpa em Eva. O homem tem um problema sério de assumir suas responsabilidades e sempre que possível quer jogar a culpa em outro.

Dito tudo isso, todo aquele que acha que por causa de um agente externo vai pecar, é melhor não sair de casa, possivelmente, mudar para uma comunidade rural, sem acesso algum à tecnologia e nem isso seria garantia de que deixaria de pecar. Assim, pecar ou não pecar sempre será uma decisão CONSCIENTE nossa.  Veja que está em maiúsculas, pois o pecado é uma “revolta” de vontade própria contra si mesmo primeiramente e depois para com Deus. Pois o pecado não atinge a Deus diretamente, mas a nós mesmos e a busca Dele sempre será de que não façamos mal a nós mesmos, pois nos ama mais do que tudo.

Se quiser ver novela (pessoalmente não vejo pois acho as histórias sempre iguais, mudando somente personagens e pano de fundo), veja. Se achar que não é bom, não veja. Mas faça-o ou não segundo sua convicção e não do pastor, pois no fim, seu “líder” não vai pagar a sua conta.

O lado Católico da história é um pouco mais complicado, pois o tal do Jorge é um santo. Segundo a história, ele teria se negado a renegar o cristianismo e assim foi morto. Pessoalmente não sou lá muito fã dessa coisa de santo, pois considero discriminatória e não vejo base bíblica para tal privilégio. Ainda entendo isso como parte do legado de Constantino, que “converteu” as estátuas dos deuses romanos em santos e fincou as bases do catolicismo no império romano. Mas isso é outro papo.

Mas então, o São Jorge no Brasil acabou por também entrar no sincretismo religioso. De forma semelhante a Constantino, os escravos tinham suas religiões e deuses e pela colonização portuguesa, a classe dominante era “dita” cristã católica e de forma a poder continuar com seus cultos, mas “paginados” de cristianismo, os santos católicos representavam os deuses de suas religiões nativas. Foi uma forma de manterem sua crença sem serem perseguidos por seus senhores, já que eram escravos. Vai aí uma manga com leite?

No fim, o Salve Jorge seria uma afronta aos cristãos devido ao sincretismo e ser na verdade Ogum. Mas a pergunta que fica é: E daí? Baseados na maior crença cristã que faz parte de nossa constituição, temos livre-arbítrio, ou seja, somos livres para professar a religião que quisermos. Entenda, quem nos deu esse direito foi Deus e não a constituição. Somos livres para acreditar que o único caminho para Deus é em Jesus Cristo, ou existem vários caminhos. Até mesmo para não acreditar em Deus ou deidade alguma, que simplesmente somos frutos do acaso (essa fica para outro post). Não vou entrar aqui nos méritos se o fundo dessa novela é um pagamento/retribuição da autora ao Jorge que a teria curado de uma doença. Como eu disse, cada um acredita no que quer. Tem gente que diz que não é preciso comer, apenas pegar um sol. Não sendo vegetal e não fazendo fotossíntese, tenho lá minhas dúvidas. Mas se está bom para você…

Qualquer coisa hoje é motivo para algumas lideranças “ditas” cristãs e detentoras de toda autoridade (acho que até Cristo tem menos) façam uso da mesma para seus interesses mesquinhos. Tendo sido uma campanha notoriamente iniciada pelo Sr. Macedo (de índole altamente questionável), dono de outra emissora de TV, seus motivos são no mínimo anti-éticos. Se falarmos aqui de mercado consumidor, a Globo tenta atingir atualmente as classes C e D em várias frentes, tanto evangélico como católicos/espíritas e as religiões africanas. A rede TV Record, sendo do Sr. Macedo, tem como mercado os evangélicos e principalmente os da IURD. Não tendo a competência da Globo em fazer novelas e/ou narrativas mais elaboradas, fica complicado e tentar vender Rei Davi no horário nobre, embora tenha conseguido com sua campanha dobrar a audiência. Sou favorável de que se criem conteúdos cristãos para as massas, mas que primeiramente sejam bons. Só por que é baseado na história de Davi, não que dizer que vá ser interessante. Aqui vejo uma falha grave na Record, que certamente tem dinheiro suficiente para contratar bons autores e criar enredos interessantes, mas por motivos que me escapam a compreensão (sei bem), não o fazem e querem ganhar audiência na base do ódio ou da intolerância. Quem não tem competência, não se estabelece. Quer ser um canal evangélico, muito bom, que seja, mas não use isso para denegrir a outros. Nem que seja por pressão, dizendo que o demônio vai entrar na sua casa pois assiste uma novela. É ridículo. Mas creio que não posso esperar muito desse senhor.

Terminando, amado irmão. Se tua consciência não te acusa, não deixe que os outros o façam. Em 1 Co 10:28-29, Paulo adverte sobre não se deixar culpar pela consciência alheia. Lembre-se, as coisas tem o poder que nós damos a elas. Se a novela é para você uma diversão, divirta-se com ela. Se é uma obscenidade, não assista. Seja simples e não crie contendas. Não seja você, pedra de tropeço para o Evangelho. Seja livre.

Fique na paz!

Category(s): Religiões
Tags: , , , , , , , , ,